Remédio moderno para hemofilia agora pode ser aplicado em mais pacientes

Antes restrito a um subgrupo de pessoas com hemofilia A, o medicamento emicizumabe, mais cômodo e eficaz, teve sua indicação estendida pela Anvisa

21 de março, 2019

A novidade no tratamento da hemofilia
De acordo com o estudo Haven 3, o emicizumabe reduziu o índice de sangramentos em 96% nos pacientes com hemofilia A sem inibidores do fator de coagulação – isso quando comparado a outros enfermos que não passaram por nenhum tratamento preventivo.

Além disso, a droga reduziu em 68% a taxa anual de sangramento, mesmo quando comparada à reposição do fator de coagulação VIII. Ou seja, segundo esse trabalho, ela seria mais eficiente que o tratamento convencional – que já é bom, diga-se de passagem.

Graças a essas descobertas e a pedido da Roche, a Anvisa estendeu a indicação do emicizumabe para os pacientes com hemofilia A em geral – com ou sem inibidores do fator de coagulação VIII.

Fora a eficiência, o remédio é aplicado só uma vez por semana e com injeções subcutâneas. Já o tratamento atual envolve picadas intravenosas pelo menos três vezes na semana.

Só tem um adendo: esse estudo focou em adultos e adolescentes com pelo menos 12 anos de idade. Por outro lado, a bula anterior da medicação afirma que ele pode ser utilizado em todas as faixas etárias.

Em resumo, o uso desse fármaco depende de uma conversa com o médico, que vai avaliar cada caso. Cabe lembrar que ele não está disponível no Sistema Único de Saúde e não é voltado para a hemofilia do tipo B. Felizmente, essa categoria do problema também teve boas notícias nos últimos anos.

Fonte: Saúde abril

Comentários