Refluxo atinge mais da metade dos brasileiros

Postado em 23 de novembro, 2018

A Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) realizou o maior e mais recente mapeamento sobre o impacto do refluxo gastroesofágico na população brasileira. O resultado mostra um quadro alarmante: 51% afirmam sofrer com o refluxo semanalmente, além de outros sintomas como a azia e a pirose (queimação) que também podem ser indícios do problema. O refluxo gastroesofágico ocorre quando o alimento ingerido volta ao esôfago juntamente com o ácido gástrico do estômago, causando sensação...

Leia Mais

Quando os dias começam a encurtar no inverno do hemisfério norte, aumentam as preocupações sobre a falta de luz solar – e uma possível deficiência de vitamina D. Para muitos, a saída é tomar suplementos. Os comprimidos de vitaminas D2 e D3 estão disponíveis sem prescrição médica - no Brasil e em vários países - e têm sido associados à melhora da imunidade e de sintomas como cansaço, fraqueza muscular,...

Leia Mais

No Brasil, 79% das pessoas com mais de 16 anos admitem tomar remédios sem prescrição médica. O percentual é o maior desde que a pesquisa começou a ser feita pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ). Em 2014, 76,2% diziam automedicar-se e, em 2016, 72%. O imediatismo e o maior acesso à internet estão entre os motivos para o aumento, de acordo com os coordenadores do estudo. — O brasileiro está na correria...

Leia Mais

Próstata aumentada: Causas e como tratar

Postado em 08 de novembro, 2018

A próstata aumentada é problema muito comum nos homens acima dos 50 anos de idade, podendo gerar sintomas como dor ao urinar ou jato de urina muito fraco, por exemplo. Na maior parte dos casos, a próstata aumentada é provocada pela hipertrofia benigna da próstata, que é apenas um problema benigno que não provoca alterações na saúde. No entanto, é aconselhado consultar um urologista para fazer o exame de toque e descartar...

Leia Mais

Se você não é do tipo que se inquieta e se angustia quando fica sozinho, aproveite esses momentos de introspecção e tranquilidade. Entretanto, preste atenção em sua vida social: você sai cada vez menos e não se relaciona com quase ninguém? Estudos mostram que a solidão é tão nociva quanto doenças como hipertensão e diabetes. O período após a aposentadoria pode ser desafiador, ainda mais se a pessoa vive só. Se a...

Leia Mais